15AH, San Francisco

California, United States.

Send Your Mail At:

info@elitesupport.com

Working Hours

Mon-Sat: 9.30am To 7.00pm

Histórias Do Povo de Cabril

Respeite os habitantes locais

Histórias Do Povo de Cabril

Depois da primeira partilha sobre as Histórias Do Povo De Cabril que podem ver AQUI, hoje chega a segunda!

São escritas por um habitante da terra de seu nome Ulisses Pereira ( Para os curiosos + AQUI )

HISTÓRIAS DO POVO DE CABRIL, O DESAPARECIMENTO E EXTINÇÃO DO TETRAZ OU GALO-MONTÊS DAS SERRANIAS DO GERÊS E A ORALIDADE DA SUA EXISTÊNCIA  QUE PERSISTE NOS  POVOS QUE O CONHECIAM COMO GALO DE CABRIL.

O tetraz era um grande galinácio que em tempos existiu na serra do Gerês, em que os machos se caracterizavam pela sua plumagem  quase totalmente preta,enquanto que as fêmeas eram acastanhadas.

Esta espécie terá nidificado em Portugal, particularmente na serra do Gerês onde também era conhecida por pita do monte,sendo a zona de Cabril provavelmente  o seu último reduto ,tendo-se extinguido há cerca de 100 anos ,porém a sua memória perdurou até aos dias de hoje na oralidade do povo,assim como na toponímia ,ainda hoje existe na serra um local chamado de Peito do Galo ,e segundo os populares foi um dos últimos sítios que esta ave de  grande porte ocupou ,o local é  assim chamado devido às peculiares características do seu ciclo biológico e dimorfismo sexual,pois na altura do acasalamento o macho fazia gritos estridentes e bastantes barulhos, na ânsia de impressionar as fêmeas .

Depois do seu desaparecimento e nas décadas seguintes ,o povo de Cabril que era um povo de montanha passou a adoptar o grito do  galo-montês para se comunicar a grandes distâncias ,sendo que esse grito passou a ser conhecido até aos dias de hoje como o grito de Cabril pelos povos das aldeias próximas, e não deixa de ser impressionante que ainda há quem o saiba fazer.

Esta ave era originária da zona boreal,foi graças às alterações climáticas geradas pela última glaciação de Würm que o galo-montês expandiu a sua área de distribuição até à Europa meridional.

Apesar dos poucos testemunhos existentes,a população do galo-montês Portuguesa era derivada da população cantábrica, se bem que possa ter evoluído de forma diferente, devido à distância que os separam, e há alguns manuscritos e documentos que referem esta espécie como o galo de Cabril,que era assim que ele era chamado ,terá existido até aos finais, e princípios do século XVIII, protegida pelas sombras dos últimos Carvalhais da serra do Gerês. Actualmente existem no mundo a nidificar, cerca de 700 ou 800 indivíduos espalhados pela cordilheira pirenaica e cantábrica, as piores expectativas vaticinam o desaparecimento do galo-montês das nossas serras em pouco mais de três décadas.

Imagens retiradas da partilha original feita pelo Ulisses Pereira

 

 

Também nos pode seguir no Facebook e Instagram

PNP Gerês

Deixe uma resposta