15AH, San Francisco

California, United States.

Send Your Mail At:

info@elitesupport.com

Working Hours

Mon-Sat: 9.30am To 7.00pm

Várzea

Várzea – O passado

Mais uma interessante partilha feita por um dos membros do grupo PNPGerês

Texto e fotografias partilhadas por Antonio MBaptista

Várzea, Agosto de 1983. Na fronteira luso-galaica, na margem direita do rio Castro Laboreiro. Num tempo em que felizmente não havia ainda passadiços que não as poldras e pontes rústicas em rios e ribeiras e a paisagem deste sítio mantinha ainda alguma da sua “pureza” original. Nesse ano fiz o inventário arqueológico da área em território português que seria afectada pela barragem do Alto Lindoso, no Lima, cuja albufeira penetrava profundamente no Castro Laboreiro (a quem neste sítio também se lhe chamava rio da Várzea). Mas, de tudo o que vi e revi pedibus calcantibus, o que mais impacto me causou foi o afogamento da notável veiga desta aldeia (o mesmo tinha já acontecido a Vilarinho das Furnas, no rio Homem), que assim se descaracterizou até hoje. Paisagem transformada e harmonicamente trabalhada desde há séculos, ela é uma consequência da chamada revolução do milho. Não passo por este sítio que não me lembre sempre desta imagem de um magnífico povoamento de montanha, inteligentemente encaixado nos contrafortes da serra, aproveitando o largo terraço que o curso do Laboreiro ali formou ao longo de milénios. Uma imagem para a história…”

( para saber mais basta clicar nas palavras a laranja )

Se quiser espreitar a partilha A Geira Romana basta clicar na fotografia abaixo

Atividades na Natureza

Caso ocorra algum acidente ou imprevisto contacte o serviço de emergência 112. Seja o mais claro e preciso que puder nas indicações sobre o local onde se encontra e sobre o que se está a passar. Caso não seja possível o contacto telefónico, mantenha a calma, coloque eventuais vítimas em segurança e protegidas do frio ou do sol e procure ajuda

Acompanhe o PNPGerês no Facebook, no Instagram e no Twitter!

PNP Gerês

Tome precauções especiais quando caminha em zonas húmidas e rochosas, para evitar quedas, e não pratique atos que possam colocar em risco a sua segurança e a dos outros. Não saia dos percursos/trilhos e caminhos existentes

%d bloggers like this: